Image Map
Blog: Anime Shoujo / Sigla: AS
Desde: 30/03/2012
Tema: Puella Magi Madoka Magica
Dona: Thays Ramos
Post: 1906
Comentários: 8500
Visualizações: 3.234.147

17.1.14

Fanfic: Alice Human Sacrifice - A quinta Alice: Joker


Yoo minna, tudo bom:? Espero que sim bom venho trazendo uma nova fanfic para vcs, baseada na musica Alice Human Sacrifice da vocaloid espero que gostem meus lindos...
Essa fanfic é inspirada na música Alice Human Sacrifice (Hitobashira Alice) e no 'Caso Alice', que se resume em cinco assassinatos ocorridos no Japão entre os anos de 1999 à 2005, cuja única evidencia de que o trabalho era de um possível serial-killer eram as cartas que ele deixava no local do crime, todas com o nome Alice escrito com o sangue das vitimas.

 
Fanfic / Fanfiction de Vocaloid - Alice Human Sacrifice - A quinta Alice: Joker - Capítulo 1 - Capítulo Único

 ions
Sinopse:
Uma figura encapuzada havia aparecido em seu quarto enquanto dormia. Ela acordou assustada, mas a figura a acalmou e explicou que precisava que ela entrasse num mundo estranho para libertar as pessoas que ainda estavam presas ali e que só ela seria capaz de tal ato. A garota havia ficado receosa, mas depois aceitou a oferta.

A quinta Alice finalmente veio ao encontro do pequeno sonho.
 
 

Capítulo 1 - Capítulo Único

 

"Era uma vez um pequeno sonho, ninguém sabia quem o sonhou, e era um sonho pequeno mesmo. E isso fez o sonho pensar: 'Eu não quero desaparecer... Como eu faço para as pessoas continuarem a me sonhar?' O pequeno sonho pensou e pensou, e no fim teve uma ideia... 'Eu farei os humanos virem até mim, e eles criarão o meu mundo!'"
Depois que o pequeno sonho teve a chance de conhecer e aprisionar quatro Alices, a quinta Alice veio ao seu encontro.
Um dia uma garota acordou misteriosamente no país das maravilhas. Sem saber para onde ia ou vinha, ela começou a andar. Ela atravessou uma floresta e notou um rastro vermelho, mas quando chegou ao seu fim, numa grande poça do que parecia ser sangue, não havia nada, então continuou o seu caminho sem rumo.
Durante a sua pequena jornada, ela achou uma mesa de chá perto de várias roseiras azuis. Ela parou por um instante, procurando algum sinal de alguém que lhe pudesse informar sobre esse país estranho onde ela estava, mas vendo que não havia ninguém ao redor, ela partiu.
Quando ela alcançou um castelo verde, ela decidiu entrar para ver se encontrava informações sobre o que lhe aconteceu e por que esse mundo parecia ser tão deserto. Ela desceu, subiu e atravessou inúmeras portas até encontrar uma amarela. Ela abriu a porta e se deparou com 4 celas, a primeira cela era marcada por um símbolo de espadas, e dentro dela havia uma mulher de cabelos curtos que usava vermelho; a segunda marcava o símbolo de ouros e dentro havia um homem de cabelos azuis; a terceira era marcada pelo símbolo de paus, e havia uma garota de longos cabelos verdes, cuja mal conseguia-se ver sua expressão, já que a mesma ficara de cabeça baixa desde a entrada da garota; a 4ª marcava um coração, e dentro dela havia dois irmão loiros de mãos dadas. O salão estava mergulhado num profundo silêncio desde a entrada da garota, então ela andou até o centro da sala e perguntou.
Quem são vocês? Que mundo é esse e como eu saio daqui?
Nós somos as quatro ALICES, nee-chan. – O garoto loiro respondeu, depois de um tempo.
A primeira Alice é a valete de espadas, a segunda é o Rei de ouros, a terceira é a Rainha de paus e nós somos a quarta Alice, o Às de copas. – A garotinha loira do lado dele completou.
Este é o país das maravilhas. – A garota de cabelos verdes disse, finalmente levantando a cabeça e revelando um sorriso amigável.
Mas... Como se saí daqui?
Não existe um jeito. Nós mesmos fracassamos ao tentar. – O azulado disse à garota, que olhava incrédula.
Bom, até existe um meio de tirar todos daqui, mas só você parece ser capaz, já que você é a quinta Alice. – A Alice de espadas revelou.
Hã?!
Olhe as costas da sua mão direita. – A menina loira disse. E quando a garota olhou, a palavra JOKER estava sendo gravada em sua pele.
A garota, um pouco assustada, começa a se lembrar de como recebeu aquela missão. Ela repassou mentalmente as palavras que ele lhe dissera, mas não se lembrava em nenhum momento de que ela também se tornaria Alice. Ela pensou por um tempo, e formou um plano em sua cabeça.
Alice de copas, eu preciso da sua espada! – A garota pediu, meio que saindo de um transe. A 1ª Alice empurrou a espada impregnada de sangue para a garota.
Se afaste do portão! – A garota disse, erguendo a espada acima de sua cabeça e quebrando o cadeado. Ela repetiu o mesmo ato nas outras três celas.
– Alice nee-chan, a pessoa que você procura está no topo da torre do castelo. Você precisa pegar ele antes que ele pegue você - A Alice de Paus avisou a garota
Onee-chan, volta logo, onegai ^-^ - O menino loiro disse, puxando a barra do vestido da garota.
– Okay, nii-chan. – A garota disse, acariciando a cabeça dos irmãos loiros. – Saiam deste castelo e me esperem na entrada do país. – Ela disse, se dirigindo aos demais.
E saiu em disparada, subindo as escadas para a torre mais alta do castelo. Quando ela alcançou o topo, ela achou uma porta. Um arrepio percorreu sua espinha, mas mesmo assim ela entrou e encontrou apenas uma poltrona e um sofá ao redor de uma mesinha numa sala iluminada por algumas velas nos candelabros e por uma lareira de frente com o sofá. Ela se aproximou do sofá, e avistou um homem de cabelos roxos, um pouco maior do que ela, deitado no sofá de barriga pra cima.
Finalmente você veio de encontro a mim! – Ele disse, se levantando do sofá e indo em direção à ela. – Vamos, sente-se aqui. – Ele disse, segurando a mão livre da garota, já que a outra era ocupada pela espada, e guiando-a até o sofá. O mesmo se sentou ao lado dela.
Você é o guardião desse mundo? – A garota perguntou, sempre atenta a qualquer mero movimento do garoto ao seu lado.
Guardião? Não, eu sou o sonho que deixou os humanos criarem esse mundo. E você pelo que eu vejo é a quinta e última Alice, a Joker. A Alice que deixou de lado seu verdadeiro nome e identidade quando foi enviada para resgatar as almas perdidas e destruir esse mundo, e a mim. – Ele dizia com calma enquanto tomava uma xícara de chá. – Eu venho te observando a algum tempo.
Então, se você já sabe quem eu sou e o meu proposito, por que não me matou quando eu cheguei aqui? – A garota perguntou, ainda na defensiva.
– Porque eu já aceitei meu destino, afinal, quem somos nós para lutar contra o que já nos foi destinado? – Ele disse, com um olhar malicioso para a garota. – A única coisa à se esperar agora seria um ato de misericórdia da mão que empunha a espada cuja a bainha estará alojada em meu coração em breve.
– Você é muito bom com palavras. Pena que não basta somente isso para amolecer alguém com um coração frio. – Ela disse, aproximando a lamina da espada do peito do rapaz.
Existe algum meio de fazer você acreditar em mim? – Ele perguntava para a garota, olhando em seus olhos.
Nenhum. – Ela disse e cravou a espada em seu peito. Ela viu o corpo agonizando e, antes do mesmo dele estar totalmente morto, ela se virou para a saída enquanto a torre começava a se desfazer atrás dela. Ela conseguiu sair do castelo antes que o mesmo se desfizesse com ela lá dentro, então ela continuou correndo até que avistou os cinco em frente à uma grande árvore que marcava o começo daquele país, atrás dela, parecia ter um outro caminho que levava ao castelo.
Nee-chan, o que tá acontecendo? – O menino loiro perguntava pra garota, grudado na barra do vestido dela.
Esse mundo está se desfazendo. Vocês precisam atravessar o portal antes que ele se desfaça por completo. – Ela disse a eles, olhando para trás e vendo o estranho mundo ser consumindo por uma grande avalanche de 'nada'. Quando ela olhou para a árvore, viu que o portal havia se formado na frente da mesma, mas atrás dela o mundo também se desfazia.
Alice-chan, nós não vamos sem você! – A terceira Alice havia segurando o braço da garota, e os olhos da mesma se enchiam de lágrimas.
Tudo bem, eu vou logo atrás de vocês. – A garota disse, segurando uma lágrima que estava prestes a cair de seus olhos. – Agora vão! – Ela disse, e a 1ª Alice entrou no portal, um pouco receosa.
O que acontece quando passarmos? Voltamos às nossas vidas ou começamos uma nova? – O garoto loiro perguntou enquanto a Alice de Ouros e a Alice de Paus passavam com a sua irmã.
Eu não sei, mas tem alguém esperando vocês para explicar como vai ser daqui em diante. – A garota disse, tentando passar o pouco das informações que tinha.
E você, onee-chan? – Ele perguntava, temendo saber a resposta.
Eu estou fadada a ficar aqui, quando eu aceitei essa missão eu sabia o que iria acontecer comigo. Mas eu precisava vir e resgatar vocês, eu não me arrependo. – A garota falou, se ajoelhando para ficar da mesma altura que ele.
Bom, então isso é um adeus. Só não se esqueça de mim, onee-chan. – O menino disse, abraçando a garota que se continha para não chorar também.
Eu não vou te esquecer e... Doushite?! – A garota ia dizer mais alguma coisa, mas foi interrompida quando sentiu uma presença familiar. – Você tem sair daqui! – Ela disse, desfazendo o abraço e olhando para o pouco que ainda sobrara do estranho país.
H-hai. – O menino disse, entrando no portal e vendo a última Alice derramar uma lágrima, quando ele notou, ele já estava em um grande salão com as demais Alices.
Quem é você? – A primeira Alice perguntou para uma figura encapuzada que às vezes parecia não ter rosto.
Eu controlo todos os sonhos. Eu vejo que a garota que eu mandei completou sua missão. E eu peço minhas sinceras desculpas por manter vocês naquele lugar por tanto tempo.
O que aconteceu com a Alice-chan? – A terceira Alice choramingava.
Eu dei uma chance dela recomeçar, ela era muito infeliz em sua outra vida.
O que vai acontecer com a gente – A Alice de Ouros perguntou.
Vocês irão voltar juntos à Terra com outras vidas, outros nomes, etc... Eu mesmo vou garantir que essa experiência vai aparentar ser o que deveria ter sido realmente: um sonho. Então, vocês concordam?
Eles discutiram por um tempo, e fecharam um acordo com aquela figura. E eles voltaram para a Terra e recomeçaram suas vidas. A primeira Alice se chamava Meiko e virou dona de um restaurante. A segunda Alice se chamava Kaito e virou vocalista de uma banda pouco conhecida. A terceira Alice se chamava Hatsune Miku e está se formou no ensino médio e foi para a faculdade de moda. E, como a quarta Alice eram duas crianças, eles se chamavam Kagamine Rin e Len, e ainda aproveitaram o resto de sua infância unidos como sempre.
...

– Rosa é uma cor tão bonita. – A quinta Alice se virou para trás para ver quem era o dono daquela voz, mesmo sabendo que só existia mais uma pessoa presa naquele estranho mundo com ela.
– Roxo também é bonito, mas é agora? Tudo foi destruído, exceto nós dois. – A garota disse, se sentando no que deveria ser o chão.
Você é a chave. – Ele disse, se sentando ao lado dela. – Você pode fazer e desfazer esse mundo como você quiser já que você é a Joker.
Sinceramente, o que significa eu ser ou não a Joker? Afinal, os outros também eram cartas do mesmo baralho e eles acabaram presos aqui contra a vontade deles.
Mas você não tá aqui contra a sua vontade, ou está?
Não. Eu fiz uma escolha quando eu decidi resgatar eles, eu não estou aqui porque não quero.
Bom, quem recebesse o título de Joker teria controle absoluto, tipo, seria capaz de criar, destruir, reinventar... Fazer tudo que eu faço aqui.
Controle absoluto?! Como um visitante pode adquirir o controle absoluto do seu mundo?
Quando esse visitante me conquista. – O garoto de cabelos roxos começou a corar do lado da garota, que olhava o seu rosto um tanto chocada com a situação. – Você é fascinante. Mesmo não conhecendo as pessoas que estavam aprisionadas aqui, você escolheu vir, os libertou e ainda se sacrificou escolhendo ficar aqui com alguém como eu. Todo o ódio que eu senti durante anos deles e daqueles que me machucaram foram tomados por uma onda de paz.
– ... – A garota não disse nada, mas de repente, os campos começaram a florescer, as árvores cresciam de uma forma absurdamente rápida, uma lua crescente brilhava no céu que tinha algumas nuvens, deixando a paisagem natural mais bela do que antes, a cidade e castelo voltaram ao seu lugar de origem, e quando os dois notaram, eles estavam sentados no sofá na mesma sala de antes. O garoto olhava a rosada, um pouco surpreso com a mesma. Os dois ficaram em silêncio até ela decidir quebrar o silêncio.
– Qual era mesmo o seu nome?
Kamui Gakupo. E o seu? Acho que você não deve gostar muito de ser chamada de Alice.
Megurine Luka.
Luka-chan... É, acho que posso me acostumar com isso.
 

2 comentários:

  1. Amei essa fanfic, jah ouvido musica do vocaloid inteira mas entedia muito pouco do significado com essa historia, tudo fez sentido ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arigatoo fofa, fico muito feliz que tenha gostado

      Excluir

Deixe os seus comentários mais parecido com o seu jeito,use os emoticons do AS e se divirta comentando...

Bjinhos :**

001   002   003   004   005   006   007   008   009   010   011   012   013   014   015   016   017   018   019   020