Image Map
Blog: Anime Shoujo / Sigla: AS
Desde: 30/03/2012
Tema: Puella Magi Madoka Magica
Dona: Thays Ramos
Post: 1906
Comentários: 8500
Visualizações: 3.234.147

24.1.14

Fanfic: I want you just for me


Konichiwaaa minna-san, tudo bom com vcs lindinhos?
Bom espero que sim, venho trazendo para vcs uma nova fic da vocaloid, afinal, é uma das bandas que mais me inspiram a escrever ... Espero que gostem...

"Eu tinha vontade de fugir... Mas eu promete a mim mesma que não fugiria, não mais. Nunca mais fugiria dos meus sentimentos!"

E se você fosse apaixonada pelo seu amigo de infância, que nem a Gumi é pelo Len, o que você faria quando finalmente decide-se confessar?

"- Desculpe lhe dizer assim, tão repentinamente, - Comecei a dizer sem ao menos olhar para seu rosto. Fechei os olhos e respirei fundo, não poderia desistir agora, podia?- mas eu sempre gostei de você!"

I want you just for me



Desci as escadas como se não houvesse amanhã, meus curtos cabelos esverdeados meio que se bagunçavam com a velocidade que eu descia, e o vento, não ajudava muito para os deixar arrumado.
Assim que cheguei a "terra firme" só precisei correr por alguns corredores, então, finalmente o encontrei. Ele estava caminhando para a saída, mas, tive a leve impressão que o mesmo sentiu minha presença, pois, logo assim que eu o encontrei ele virou-se para mim, com um sorriso no rosto.
O sorriso dele era realmente muito radiante, o vento começou a bagunçar seu loiro cabelo, ao contrario de mim, o deixando mais rebelde e selvagem, ao seu modo.
Len, desfez um pouco o seu sorriso e olhou diretamente para mim, com aqueles olhos azuis...
– Então Gumi, eu lhe procurei por todo o colégio, aonde você estava? Pensei que tivesse ido para casa e me deixado para trás... - O final da frase quase não foi escudado, sua voz falhou.
Eu tinha vontade de fugir... Mas eu promete a mim mesma que não fugiria, não mais. Nunca mais fugiria dos meus sentimentos!
– Desculpe de dizer assim, tão repentinamente, - Comecei a dizer sem ao menos olhar para seu rosto. Fechei os olhos e respirei fundo, não poderia desistir agora, podia?- mas eu sempre gostei de você!
Eu realmente... Disse? Meu coração... As batidas do meu coração começaram a acelerar.
Senti o olhar dele sobre mim, abri lentamente meus olhos. A expressão dele era muito difícil de distinguir... Surpresa? Talvez...
Droga! Preciso escapar-me desta.
Fiz uma cara travessa e amostrei minha língua a ele, fazendo uma careta desajeitada.
– Estou ensaiando uma confissão, - Disse cantarolando, desfiz a careta e logo cruzei meus braço - Pensou que fosse real? É só uma brincadeira.
Ele estava estranho, não conseguir decifrar sua expressão pois grande parte do seu rosto agora estava sendo comprida por sua franja.
Ele virou-se e começou a caminhar para fora, eu, de imediato, o segui.
– Ficou bom? Te surpreendi? Vamos, não fique assim! - Cantarolava enquanto caminhava a seu lado, um falso sorriso se encontrava na minha face.
– Leve as coisas mais a serio. - Ele disse erguendo a cabeça, amostrando um pequeno sorriso de canto.
Levar a serio? Pare com isso! Eu não teria tido aquilo se você me respondesse de imediato.
Leve colocou suas mãos sobre sua nuca e começou a assoviar, observando os últimos raios de sol do dia.
– Queria comer naquele lugar, perto daquela estação. - Tentei mudar de assunto.
– Novamente? Comemos lá semana passada. - Afirmou, idiota, contribua. - Você come tanto, ira acabar virando uma gorda.
– G-G-Gorda!!! - Gritei tão alto que até mesmo ele se assustou. - Não fale essas coisas Len, isso é tão cruel. - Choraminguei.
Não demorou muito para ele se recuperar do susto e começar a ri.
Tão belo...
No final nós apenas tomamos uma coca cola acompanhada de um pastel. Como sempre ele me deixou na porta de casa e partiu adiante. Sua casa não chegava a ser tão longe ta minha.
Assim que entrei em casa, cumprimentei meus pais que estavam conversando na sala, algo sobre economia, e parte em direção a meu quarto, aonde tranquei minha porta e comecei a tirar a minha roupa enquanto caminhava em direção ao banheiro.
Fiquei apenas com as minhas peças intimas, esperando a banheira se encher.
Assim que ela encheu-se, tirei o resto da minha roupa e entrei lentamente na banheira, minha pele pareceu gostar da água quente, pareceu relaxar-se ao seu encontro.
– Certo, - comecei a falar comigo mesma - Amanhã, com toda a certeza me confessarei seriamente para ele!
Mergulhei um pouco minha cabeça deixando meu nariz quase submerso.
Será que ele irá me apoiar? Será que se ele me rejeitar eu irei suportar?
Comecei a balançar minha cabeça, o que eu estava pensando? É claro que eu aguentaria, só bastava ele continuar ao meu lado, somente isso bastava para mim, mas... Será que ele iria se afastar de mim?
Não, ele prometeu, não? Prometeu que estaríamos juntos para sempre! Mas... Isso foi a tanto tempo.
Por que na vida sempre há um "Mas"?
Há, por que não poderia ser tudo simples ao invés de ser tão complicado?
Depois de mais um tempo, sai ta banheira e me enrolei na toalha que estava a minha espera.
Indo para meu quarto, veste uma roupa qualquer, peguei meu celular que se encontrava em cima de minha comoda e sentei-me na minha cama e vi que havia recebido uma mensagem. Era do Len.
Ele perguntava para quem era aquela confissão.
"Leve as coisas mais a serio" você disse, mas, mesmo eu dizendo que era uma brincadeira, por que você não levou a serio minha confissão? Há Len, se fosse tivesse noção do esforço que eu fiz para falar aquilo... Deveria ver através das minhas mentiras, afinal, é você que sempre diz que eu sou péssima mentindo. Sempre sabia quando eu falava a verdade ou simplesmente mentia. Não?
Responde um simples "Descubra por si mesmo" e logo em seguida joguei meu celular na parede.
Não demorou muito para que eu me arrependesse deste ato.
Levantei-me, e agachei-me aonde se encontrava o aparelho. Peguei meu celular que por sorte ainda funcionava e me levantei.
Por ironia do destino dei de cara com um quadro de lembranças.
Fotos minhas e do Len quando éramos pequenos era o que não faltava ali.
E logo, com um sorriso bobo no rosto, encarei minha primeira foto tirada com ele.
Eu choramingando por que meu sorvete havia caído e ele apenas observando.
Nos tínhamos simplesmente sete anos, eu passava um fim de semana numa praia com a minha família.
Já era tarde, eu me encontrava no meio da praia perdida.
Nem lembrava-me mais como eu tinha acabado ali, só me lembrava de um garoto que do nada "como um presente de uma fada" foi me ajudar... Resultado? Acabou por eu e ele nós perder e dormimos em baixo de uma palmeira, tremendo de frio.
Tentei ao máximo parar de ri, e voltar a realidade.
(... )
Acordei com um maravilhoso humor, tinha dormido tão bem.
Tomei um banho não muito demorado e rapidamente me vestir.
Coloquei a a roupa completa da escola e me ajeitei.
A sorte estava ao meu lado, eu sabia disso, eu sentia. Mesmo não ligando muito para isso, eu estava feliz em saber disso.
Maquiagem? Ok.
Acessórios? Ok.
Perfume? Ok.
Auto Confiança? Ok Ok Ok!
Então, por hoje tudo realmente esta certo. Somente por hoje parecerei ou pelo menos me esforçarei para ser uma menina educada.
O dia realmente passou-se rápido.
Tedioso, mas rápido.
Todos já haviam saído e como de costume, lá estava ele se arrumando para sair por ultimo. Assim que ele se levantou fui em sua direção e segurei seu braço, logo o balançando.
– Vamos, me deixe praticar mais por favor. - Pedi sorrindo.
Ele nada disse, apenas parou de caminhar para a saida e começou e me fitar.
Auto Confiança? Perdi.
– Eu gosto... E-Eu realmente... Eu realmente gosto... - Minha voz estava tão falha. Não conseguia terminar a frase.
– Dê o seu melhor. - Ele mandou com um sorriso que me transmitiu confiança.
Calei-me.
Ele estava preste a sair da sala... Não, eu preciso disser!
– Espere! - Pedi.
Automaticamente ele voltou toda sua atenção nisso.
"Dê o seu melhor" foi o que ele disse.
– Me perdoe por mentir, - Fechei meus olhos com medo de encara-lo, sentir minhas bochechas esquentar - Mas eu sempre gostei de você. Não era brincadeira.
Minha voz saiu tão tremula. Vamos, compreenda que o que eu quero dizer é eu te amo.
– Você não precisa fazer mais coisas deste tipo Gumi, - Len começou a falar com uma voz calma, lentamente olhei para ele, o mesmo estava com um sorriso no rosto e no final falou algo que eu, de um certo modo, não esperava. - Eu também sinto o mesmo por você.
Ele me acharia egoísta se... Eu disse-se que o quero só para mim?


  Até kissus





Um comentário:

Deixe os seus comentários mais parecido com o seu jeito,use os emoticons do AS e se divirta comentando...

Bjinhos :**

001   002   003   004   005   006   007   008   009   010   011   012   013   014   015   016   017   018   019   020